Bruno Fagali reporta sobre novo anexo instituído pelo Conar sobre internet móvel

De acordo com as informações reportadas por Bruno Fagali da Fagali Advocacia, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), buscando tornar mais satisfatórias as atividades publicitárias de anunciantes da área de telecomunicações, designou o desenvolvimento de novas regras voltadas para publicidade sobre internet móvel. O comunicado acerca da criação de um novo anexo com regras específicas para anúncios e campanhas direcionadas ao setor feito dia 11 de abril passou a vigorar a partir do dia 1 de junho.

O Conar assegurou, que das regras estabelecidas e descritas no recém-adicionado Anexo V, a grande maioria já é parte integrante do código do conselho, sendo estas normas instituídas no regulamento válidas para qualquer tipo de publicidade, seja de serviço ou produto. O advogado Bruno Fagali noticia que a intenção do Conselho é de promover maior clareza quanto às informações transmitidas aos consumidores por meio das campanhas e anúncios publicitários deste gênero.

Segundo Bruno Fagali, que além de atuar na Fagali Advocacia também exerce a função de gerente de Integridade Corporativa na Agência nova/sb, diante da quantidade de reclamações enviadas ao Conar em relação a campanhas que promovem serviços de internet móvel, a entidade passou a dar mais ênfase aos padrões a serem seguidos.

Tendo sido o Anexo V produzido pelos conselheiros da própria instituição, conforme seu Portal oficial, entre os pontos mais importantes estabelecidos no novo anexo estão os tópicos que diz respeito a anúncios sobre internet móvel e inclusão nas campanhas, reporta Bruno Fagali. São ressaltados os seguintes itens:

– Esclarecimentos sobre o funcionamento e o consumo de dados de aplicativos não devem deixar de ser realizados;

– As informações contidas nos anúncios devem ser expressas de maneira clara e acessível aos consumidores. Dados sobre prazos de validade para promoções, preços, limites de utilização da franquia de serviço, restrições, regras, serviços oferecidos e formas de cobrança devem ser descriminadas de modo compreensível;

– Nas informações também devem ser citadas as taxas de velocidade de transmissão nas conexões de dados e de volume médio do consumo de dados em provedores de vídeo/e-mails e mídias sociais;

– No comunicado da oferta do serviço deve ser descrita a abrangência da oferta e o endereço de localização do mapa de cobertura da operadora de telecomunicações.

Pensando em proporcionar um equilíbrio nas propagandas, o novo anexo que trata da “Publicidade de Serviços de Telecomunicação Modalidade Internet Móvel”, propõe a divulgação não somente das vantagens e benefícios, como também das restrições ou condições possivelmente relevantes ao consumidor, destaca Bruno Fagali. Para maior detalhamento de serviços e informações pertinentes, os anunciantes podem fazer uso de outras mídias de comunicação, conforme o Anexo U do código do conselho.

Conar

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária é composto por vários profissionais graduados nas mais diferentes áreas. Como uma instituição não-governamental, o Conar apoia a liberdade de expressão publicitária e defende as prerrogativas constitucionais da propaganda na área comercial, incentivando a produção de campanhas e anúncios honestos, verdadeiros e com senso de responsabilidade, sempre respeitando as leis estabelecidas no país.